Follow by Email

5.17.2010

POR QUE POLÍTICOS NÃO VÃO AO HOSPITAL PÚBLICO?


Creio que deveria haver uma lei que obrigasse os políticos a usarem sempre os serviços públicos de saúde e educação, e não os D´or da vida, que no final das contas acabam sendo pagos com dinheiro público. Da mesma forma, seria muito mais honesto ver o filho de um governador ou prefeito, por exemplo, começando o ano letivo numa escola pública,junto com gente de todas as classes sociais, a mesma gente que votou naquele político para ele se dedicasse, entre outras coisas, a melhorar exatamente a saúde e a educação públicas.

Pois qual a credibilidade que um político tem se quando ele fica doente é logo internado no melhor hospital particular da cidade, com uma infraestrutura de primeira, médicos atenciosos e bem pagos e quarto particular? E também qual a credibilidade do político cujos filhos estudam num colégio caríssimo, com educação integral, aulas de arte, inglês, esporte, música, teatro etc, etc? Onde fica a tal história de “dar o exemplo”? Mal comparando, é como se um alto diretor da Volkswagen chegasse ao trabalho tranquilão, dirigindo o último modelo da...Fiat.

Se um político não tem coragem de procurar um hospital público ou duvida da capacidade da escola pública de dar uma educação de qualidade aos seus filhos, então ele não serve para ocupar um cargo público. Pode ser que tenha muito sucesso numa empresa privada, num cargo de empresa particular, mas o nome “público” não tem nada a ver com ele.

Quer dizer, aquele que não pode pagar um bom plano de saúde ou uma escola particular que se vire com as filas, com as máquinas quebradas, com os diversos problemas de infraestrutura, de baixa auto-estima dos profissionais, dos salários irrisórios, de tudo o que serve para desestimular os profissionais destas áreas, que apesar de tudo ainda se esforçam para proporcionar um serviço razoável nestas duas áreas, essenciais em qualquer parte do mundo.

Será que se essa lei existisse os serviços públicos de saúde e educação não melhorariam, já que o político e a sua família “sentiriam na pele” o atendimento público? Mas, afinal, quem é que faz mesmo as leis, hein?

Aguardo sua visita aos meus outros blogs:

www.criticasmansur.blogspot.com
www.manualdoserrote.blogspot.com

27 comentários:

Vanessa disse...

Se não me engano, já recebi alguns e-mails falando sobre essa tentativa de lei. Mas não sei se de fato algum político teve essa honesta iniciativa. Vou pequisar sobre.
Infelizmente vivemos com incoerências absurdas como essa.
Um ótimo texto como sempre! Muito bem escrito e muito útil! E ainda tem gente que não vê utilidade na literatura...

Um grande beijo,

Vanessa Martins.

André Luis Mansur disse...

Obrigado! :)

Acho que essa lei seria a mais difícil de ser aprovada em todos os tempos, a não ser que houvesse uma mobilização geral de toda a sociedade, coisa que, hoje em dia, parece uma utopia. Mas fica aí lançada a idéia, pois me parece o maior dos paradoxos que os ´homens públicos´ só usem os ´serviços privados´.

Beijão!

Sérgio disse...

Mansur,

Brilhante esse seu texto.

Gostaria imensamente de publicá-lo como matéria do portal, para que ficasse bem a frente de todas as notícias, pois é texto liso e reto, vai direto às consciências e bate firme na falsa moral dos políticos que praticam o “faça o que eu digo não faça o que eu faço”.

Parabéns

Sergio

André Luis Mansur disse...

Muito obrigado, Sérgio. Está liberado o texto, fico muito feliz com a idéia. Tomara que as pessoas comecem a se conscientizar deste verdadeiro paradoxo.

Grande abraço!

Ronaldo Carneiro disse...

Boa pergunta e boa crônica,André.

André Luis Mansur disse...

Obrigado, Ronaldo. Abraços.

Raul disse...

Gosto muito dos seus textos políticos, Mansur. Deveriam ser publicados num jornal de grande circulação, ainda mais em ano de eleição.

Grande abraço!

André Luis Mansur disse...

Obrigado, Raul, este é um dos meus sonhos profissionais, quem sabe um dia eu chego lá? Enquanto isso, vou tentando me aprimorar neste singelo espaço.

Abraços.

Louise Alves Caldas disse...

Caro André Mansur! Seu texto tem a força e a verdade conduzidas pela forma simples do bom escritor. Sinto nele um valor político importante. Ele abre uma nobre campanha facilmente...uma campanha democrática e com grande poder de transformação social!
Um beijo da amiga,
Louise

Fórmula Zuuum disse...

Façam o que eu falo; não façam o que eu faço. Precisa dizer mais alguma coisa?

André Luis Mansur disse...

É exatamente isso, Márcio, ou, para usar um chavão político: "O exemplo vem de cima", para o bem ou para o mal.

Abraços.

André Luis Mansur disse...

Obrigado, Louise. Você, como profissoinal há tanto tempo inserida na educação pública, sabe exatamente o que eu quero dizer. Está na hora de se fazer uma campanha em defesa disso com a mesma força que o povo torce pelo Brasil na Copa do Mundo.

Um beijo e obrigado pelas palavras!

Taninha disse...

Nossa! Concordo completamente com isso! Acho que estamos fartos de tanta incoerência nesse país! Um abraço!

André Luis Mansur disse...

Um abraço, Taninha!

Beijos.

Elisa Gaivota disse...

Florestan Fernandes não aceitou que os filhos o transferisse para um hospital público; ficou internado e morreu em hospital público, seus filhos estudaram em colégio público etc. Ao contrário de socioólogos inescrupulosos e oportunistas como FHC, esse socioólogo foi coerente com a proposta de um Brasil justo e humano. Pena que os políticos não são como ele... Se houvesse essa lei que os obrigasse a frequentar a rede pública de saúde e educação, certamente a prioridade do orçamento público seria o investimento nessas áreas.

André Luis Mansur disse...

Muito boa essa lembrança, Elisa. Do Florestan Fernandes não daria para esperar outra coisa mesmo. Já FHC em um hospital público, só se fosse para inaugurar alguma coisa e depois sair rapidinho.

Beijos.

Anônimo disse...

Li seu texto e lembrei do bebê que caiu da maca em Salvador nesta semana e, infelizmente, morreu.
Os políticos não vão aos hospitais públicos porque sabem o que encontrariam lá.Ótimo texto, André.
Abraços

André Luis Mansur disse...

Eu vi essa matéria, infelizmente tem tudo a ver com o que eu escrevi.

Grande abraço!

Marcio Rufino disse...

Caríssimo Mansur,

Adorei sua escrita. Crônicas inteligentes, interessantes e pertinentes envolvendo literatura, política e história. Tudo de bom. PARABÉNS. Gostaria de convidá-lo a visitar os blogs
http://emaranhadorufiniano.blogspot.com e
http://po-de-poesia.blogspot.com
Seus comentários e críticas serão muito bem vindos.

Abrçs!!!

João M disse...

O senador Cristovam Buarque teve uma iniciativa muito parecida com a sua: http://comoviveremos.com/2009/03/14/lei-da-empatia-educacional-obrigatoria/

Abraços

André Luis Mansur disse...

Olá, João, tudo bem? Obrigado pela citação do site, foi muito bom saber disso. O projeto é de 2007 e ainda é consideardo inusitado, acho o contrário. Pelo visto, estamos bem acompanhados nesta idéia. Grande abraço!

André Luis Mansur disse...

Olá, Márcio, tudo bom? Muito obrigado! Vou olhar os sítios e te falo o que achei. Abração!

Ignez Senna disse...

como voce mesmo disse, o maior dos paradoxos é ver que homens públicos só utilizam serviços privados. se tratando de políticos é a velha estória: o exemplo deveria vir de cima... Ignez Senna

André Luis Mansur disse...

Exatamente, Ignez, mas infelizmente a maior parte dos exemplos que vêm de cima são sobre o que não se deve fazer. Beijos.

KAREM disse...

Querido amigo...

O sistema Kista em que vivemos e extremamente sectarista. Delinea-se claramente as divisões sociais.Faz partes do moldes burgueses que desde os primórdios, como classe dominante e detentora do K/Poder. A Super-Estrutura é inexorável,inatingível e fundamentalmente fragmentadora. Enquanto as classes periféricas continuarem vassalas dessas teias dominadoras, continuaremos (por fé) acxreditando no dito de George Orwell (1984): ' SE HÁ ESPERANÇA, ESTÁ NOS PROLES.Abraços
KAREM REGINA

clarieni disse...

Eu moro na Holanda há 5 anos e aqui não existe escolas privadas, os netos da Rainha da Holanda estudam em escolas publicas e "ai" dela se coloca alguém da família em escola particular, afinal o slogan deles é direitos iguais para todos habitantes da Holanda. Eu já vi na televisão um político ir trabalhar com bicicleta. Afinal onde está o primeiro mundo aqui ou no Brasil, onde os políticos usam serviços e carros particulares? Acorda Brasil!

André Luis Mansur disse...

Aqui é o contrário, impostos alto, serviços públicos de má qualidade e os políticos, que deveriam exatamente valorizar o serviço público, até porque são eleitos por este público, só se refugiam em escolas e hospitais particulares. Estamos muito longe ainda desse tal primeiro mundo. Abraços.