Follow by Email

11.01.2006

DRUMMOND E O BANCO



quantos cabem neste banco negro
quantos cabem neste branco negro
quantos negros cabem neste branco
quantos brancos cabem neste banco
quantos bancos cabem neste branco
enquanto quantos neste cabem
este vê que cabem quantos neste
neste branco cabem quantos branconegros
cabem neste banco enquanto quantos cabem.

Carlos Alexandre (Doca)

14 comentários:

Marcello disse...

Só um mineiro para ir à praia de calça e camisa compridas e ficar de costas para o mar...

Cristiani disse...

Acho que esta é uma ótima imagem e agora esta devidamente adornada! E questionada!
Bjs.

Aline Canejo disse...

Ô, menino! Se o cara estivesse de costas para o calçadão é que ficaria mais estranho ainda, não? Além disso, como diria o próprio Drummond, "o mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar". Para bom entendedor, meia palavra basta.

André Luis Mansur disse...

´Para bom entendedor, meia palavra bas´, como diria Verissimo.

Na verdade, se ele estivesse de costas para o calçadão é bem provável que tivesse a carteira arrancada, já naqueles tempo.

Marcello disse...

O cara é mineiro e fica de costas para o mar? Não concordo. Ele preferiu olhar para os prédios da Atlântica do que para o mar? Inconcebível. E outra coisa: se ele fosse atento leitor de Rubem Braga, ficaria esperto com o mar, que um dia vai engolir o bairro, segundo este que é um dos grandes gênios nascidos em Cachoeiro do Itapemirim (o maior eu não preciso dizer quem é, né? Mas tem ainda Carlos Imperial, etc...) Abraços

Aline Canejo disse...

Carlos Imperial? Este escroto de marca maior como gênio? Faça-me o favor!

Marcello disse...

Carlos Eduardo Corte Imperial é ídolo!!! Ídolo, ouviu bem? Um multimídia antes de o termo existir, e pegador antes de se usar esse termo para esse fim específico. Mesmo sendo gordo. Mas era genial!

Aline Canejo disse...

Grande m**** (sou pudica e não falo palavrões) ser pegador.
Aliás, ele era pegador, mesmo sendo gordo, porque oferecia para as meninas algo que tudo mundo quer: fama e dinheiro. Vá dizer que as mulheres todas enfeitiçaram-se pela foto do Sr.Carlos Eduardo Corte Imperial(para quê essa fascinação em citar o nome completo de pessoas conhecidas?)sentado no vaso?

Marcello disse...

Aquela foto é genial, Aline Aparecida Canejo Coelho (és fascinação, aaaammmoorrrr)!!!!! E por que esse mau conceito sobre as mulheres? Como assim "todo mundo quer fama e dinheiro"? Você também? A gente se surpreende com as pessoas...

Aline Canejo disse...

Ai, chérie!Poupe-me!

Edeilda disse...

Nesse país, ainda, muitos brancos sentam num banco, enquantos negros sentam em outros. Gostaria de estar viva pra ver muitos brancos e negros sentados nos mesmos bancos, com os mesmos direitos, sem nenhum tipo de preconceito, porque isso ainda existe. Bancos... do trabalho digno, do direito à moradia, do direito à cidadania....e muitos outros bancos. Sonho?? Utopia??? Sei lá...

Adorei as fotos, o contraste do branco e preto com o colorido ficou divino. Só pra variar está ótimo..rsrs Bjos

André Luis Mansur disse...

Obrigado. Realmente foi uma sorte encontrar a foto dele em carne e osso sentado no banco.

Beijos.

Aline Targino disse...

Oi André,
essa imagem do Drummond (carne e osso) realmente é muito linda, porém há uma da sua estátua que ficou famosa por mostrar um morador de rua, bêbado, batendo altos papos com o poeta. É uma cena hilária.
Bjs

André Luis Mansur disse...

Adorei a foto do bêbado. Se tivesse visto antes, teria colocado com certeza. Beijinhos.