Follow by Email

6.28.2008

PROTEÇÃO


Atravessa a rua
Atravessa a rua, com pensar
Rio Branco, Presidente Vargas
O que fizeres de tua vida
Irá pesar


Alguém grita:
- Sai da rua, é avenida!

(Mas caminho por caminho
O que importa não é a extensão
E, sim, como se anda nele)


Depois de atravessar a rua, avenida, caminho,
Segue em frente, não estranha a morada dos mortos
Que tu sentes e que te causa horror.
Pega na mão que te oferecem,
Confortável e materna –obedece

Sobe, agora, a ladeira, sem desviar
Pela legião de durmientes, soturnos,
Em seus casulos a espreitar.

Segue, segue em frente, escuta a voz
a te orientar
Cruzando o aclive de santos:
-Santa Lucía, bendiga los ojos de mi hija
Para mirar más allá!


ALINE CANEJO

Um comentário:

Fabio disse...

É bem forte, evoca um abrigo... e um binóculo. Não apenas estamos sós.
Quero mais colaborações!