Follow by Email

10.20.2008

VIOLÊNCIA NO FUTEBOL


Segue abaixo uma relação de frases ligadas à violência e que são utilizadas no dia a dia do futebol. Não sei até que ponto elas influenciam a violência dentro e fora do campo. Uns vão falar que sim, outros que não tem nada a ver. Mas, enfim, acho que vale uma reflexão, pois mesmo quem acompanha o esporte talvez não perceba como ele está repleto de expressões deste tipo.


- Matou a jogada; matou a bola; matou a defesa adversária.

- Fuzilou o goleiro adversário.

- É a chance de se vingar da derrota do ano passado.

- Deu um tiro certeiro de longa distância.

- Fez uma jogada que matou o goleiro.

- A competição vai ser decidida no mata-mata.

- Mandou a bomba, que explodiu no travessão.

- Mandou um míssil.

- O time se recuperou e atropelou todos à sua frente.

- O jogo foi uma verdadeira batalha.

- Mandou um petardo de fora da área.

- Um verdadeiro bombardeio de cruzamentos na área.

- O artilheiro deste ano é um verdadeiro matador.

- Acertou um balaço no ângulo.

- A batalha de Montevidéu.

- O time caiu para a zona da degola.

- Uma das armas dele é o cruzamento na área.

- O atacante mirou de fora da área e acertou o alvo no ângulo.

- Acho que ia golear, mas tomou uma surra.

- O jogo foi um verdadeiro massacre.

14 comentários:

Felipe Vasconcelos disse...

e o que falar de Zidane que está matando de cabeça na foto?
Já quanto às frases de efeito violento, não sei são usadas em outros países, e se são usadas, preciso saber também se em outros países o futebol é tão violento quanto aqui. pode me informar isso, professor André? rs
Abraços.

André Luis Mansur disse...

Esse é um bom tema para pesquisar. Quanto ao linguajar eu não sei, mas pelo menos parece que há uma maior punição. Na Inglaterra, por exemplo, os hoolingans foram expulsos dos estádios e hoje não existe nem alambrado separando o campo da torcida.

Abração.

Aline disse...

Sinceramente, eu nunca entendi muito o porquê desse pão e circo futebolístico. Sempre vi o futebol como ótimo exercício físico, e só(vá lá, faço uma concessão para os jogos da Copa), mas, sei lá, os homens da terra brasilis resolveram achar que tal esporte era razão para extravasar frustrações. Vide a porradaria sem motivo na Av. Brasil, com torcedores do Vasco e do Flamengo.

(Aline Canejo)

André Luis Mansur disse...

Bem, quanto à porradaria eu também sou totalmente contra, isso em qualquer esporte (já assistiu uma partida de hóquei?). Mas...ver o futebol apenas como ´ótimo exercício físico´, aí já vai uma distância muito grande (rs). Recomendo ´A pátria em chuteiras´, do velho Nelson.

Beijinhos.

Rubem Penz disse...

Mansur,
O esporte coletivo é uma batalha controlada (pensemos na regra, não na exceção). Tal como uma vacina, faz mais bem do que mal. O que não significa que não seja afeito aos exageros humanos.
Mudando de assunto, vale uma espiada no meu www.rufardostambores.blogspot.com . Abordo um tema que nos une!

Abraços, Rubem

Gaivota disse...

Vou mandar a questão para o Visnik a questão... rsrs Não saberia avaliar muito bem...

Gustavo disse...

Eu vejo mais como um reflexo. E acredito que este linguajar seja utilizado em quase todos os países, mais associado ao universo falocentrico/machista, que tem na violência uma de suas bases, do que ao esporte. Mas não vejo uma relação direta de causa-efeito... Quem nunca foi ao Maraca e entoou gritos de guerra e nem por isso foi lá entrar na porrada? (sem entrar no mérito de se isso, por si só, é bom ou ruim)
Abs!

Gustavo disse...

Acrescentando: no estádio que eu fui aqui em Dublin tb não há alambrado. Porém, não se vende bebidas alcoólica em jogos de futebol, apenas nos de rugby e futebol gaélico. Abs!

André Luis Mansur disse...

Boa sugestão, Elisa. Acho que ele pode avaliar bem. Mas você de repente também pode. Comece assistindo aos jogos do Campeonato Paulista, segunda divisão, na Rede Vida, aos sábados à noite. Não é nenhum sacrifício. Em breve, você vai começar a entrar no ´espírito da coisa´.

Beijos.

André Luis Mansur disse...

Universo ´falocêntrico-machista´. Pô, depois dessa fico até intimidado com minhas réplicas tacanhas e empobrecidas.

Talvez esse argumento seja o mesmo dos videogames violentos, pois você pode ´matar´ um monte de gente num game e não virar um serial-killer. Outro dia, uma velhinha bem britânica, de cabelos branquinhos como a neve, mandou um dedo para o juiz no campeonato inglês e vociferou uns dez palavrões impublicáveis. A câmera a pegou no ato. Com certeza, depois ela foi para casa e ninou os netinhos com toda a ternura e amor que as vovós sabem dar.

Ah, a proibição de vendas de bebida alcoólica nos estádio e em torno deles foi uma das medidas dos ingleses para reduzir a violência nos estádio, além de prenderem todos os líderes dos hooligans. Não é à toa que os jogos de lá não têm alambrado.

Abração!

Gaivota disse...

Ihhh André, assitir aos jogos é uma tarefa muito difícil... Não super-estime minha curiosidade, ela tem limite... (rsrs)

Gaivota disse...

Também adorei o "universo falocêntrico/machista"... muito precisa essa denominação.

Anônimo disse...

Marcello disse...

Minha frase preferida sobre o tema é: "É um absurdo que algumas pessoas tratem o futebol como uma questão de vida ou morte - Futebol é muito mais do que isso!!!!".

Abraços
MARCELLO BRUM

André Luis Mansur disse...

Muito boa. Abração!