Follow by Email

7.23.2009

LULA, SARNEY E COLLOR...20 ANOS ATRÁS



Youtube (www.youtube.com) é hoje o site de vídeos mais popular da Internet e o que mais me fascina nele é a possibilidade de ver vídeos antigos, cenas de filmes, séries, novelas, propagandas, gols, shows etc. Um mundo audiovisual surpreendente que possibilita, a qualquer um, o estabelecimento de uma memória afetiva das mais ricas para uma geração que já nasceu ligada na televisão, mesmo que fosse em preto e branco, sem controle remoto e com botões de horizontal e vertical.

Quanta gente já não assistiu a um vídeo no youtube e o relacionou a algo importante, feliz ou triste, da sua vida, desdobrando uma corrente de lembranças que seria praticamente impossível sem esse ponto de partida? Proust já explicava este processo, ainda bem antes da linguagem virtual, na sua grande obra “Em busca do tempo perdido”.

No caso da política, o youtube nos presta um outro serviço, essencial para o processo democrático: mostrar o que os políticos pensavam, diziam e faziam em priscas eras, comparando com o que são hoje. Não é mais uma questão de escavar arquivos empoeirados de jornal, está ali a imagem viva, nua, crua e colorida para quem quiser. E um que me chamou muito a atenção foi a do debate entre Lula e Collor na eleição presidencial de 1989, mediado por Alexandre Garcia (o nome do vídeo é Debate: Collor x Lula (1989) - 2 de 2). Naquele momento, Lula liderava as pesquisas de opinião e era a esperança de milhões de brasileiros que sonhavam com a ética na política, a principal bandeira do candidato e do Partido dos Trabalhadores, o único partido que não precisava pagar militantes, voluntários que acreditavam ser a estrela vermelha do PT um oásis em meio ao deserto de conchavos, corrupção e apadrinhamentos da política brasileira.

José Sarney era o presidente da República. Desgastado com uma inflação de 80% ao mês e responsável maior pelo embuste eleitoral que foi o Plano Cruzado, nenhum dos candidatos queria associar sua imagem ao presidente. Num determinado momento do debate, perto do final, Collor pergunta ao "outro candidato", como ele se referia a Lula: "Eu gostaria de saber como é que ele recebe, e como é que ele se sente, recebendo o apoio para a sua candidatura do senhor José Sarney e do senhor Moreira Franco, governador do Rio de Janeiro".

E Lula, que hoje, de barbas e cabelos grisalhos e bem penteados, bem diferentes da época, e defendendo com unhas de dentes Sarney, atual presidente do Senado e envolvido no escândalo dos atos secretos, respondeu, entre outras coisas: "Pouca gente neste país brigou contra o Sarney como eu briguei" e "Eu espero que (o presidente José Sarney) vote corretamente, depois de tantos males que causou ao Brasil".

Mais não precisa ser dito, basta a imagem da semana passada, em que Lula e Collor aparecem fortemente abraçados, como se fossem amigos de longa data. Na política já disseram que tudo se esquece, mas pelo menos está aí o youtube para nos lembrar.

8 comentários:

Fórmula Zuuum disse...

Mansur. Acabei de ler: "Dona Marly, mulher do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), sofreu uma queda nesta quinta-feira (23). Segundo a assessoria do presidente da Casa, o acidente produziu “algumas fraturas graves na região do ombro” da mulher de Sarney". Êita corpo fechado... Miramos e o raio caiu do lado...

André Luis Mansur disse...

Não adianta, rapá, essa turma aí está imune a tudo. Como diria o Zagallo, ´vão ter que me aturar"!

Abraços.

Prof. Adinalzir disse...

Caro Mansur!

Isso é para todo mundo ver como todos eles são uma verdadeiras cobras venenosas (cobra é pouco, é melhor deixar a pobrezinha em paz). Seu texto já diz tudo!
E aguarde... Quando vir a tona, todos os podres do Lula, iremos todos ter que sair de baixo, pois virá merda de tudo quanto é lado. Quem viver verá!

Abraços!

André Luis Mansur disse...

O cara já não sabe mais o que fazer para defenser o indefensável, até com o próprio partido ele já se indispôs.

Abraços.

Bruna Mitrano disse...

Querido André, eu ia comentar esse teu ótimo texto (p'ra variar), que acabei de ler, mas...tenho que falar sobre a intervenção do(a) sr(a) anônimo(a)! Que que é isso, hein?! Quero ver vc traduzir!rs. Eu só entendi a parte do Michael Jackson. Será que é próprio? O rei do pop te lendo do além, que honra!

André Luis Mansur disse...

Obrigado, Bruna. Bem, se era o próprio, não sei, pois removi tudo e agora os comentários passam pelo moderador. De qualquer forma, acho que fiz isso porque não consegui traduzir mesmo o que estava escrito (rs).

Beijos.

Felipe Vasconcelos disse...

Com relação ao comentário do Prof. Adinalzir, pode ser que daqui a uns anos venham a tona podres do Lula sim, porém isso só ocorrerá se for necessário, assim como foi agora com o Sarney, e como foi necessário eleitoralmente o Roberto Jeferson jogar a merda no ventilador em 2005 sobre o mensalão, CPI dos Correios e outras maracutaias mais. É engraçado ver a forma como os jornais noticiam escândalos do Sarney, me parece até que isso é surpresa, novidade ou algo do tipo. E outra coisa que me incomoda muito é a sinuca de bico em que o Lula fica... será que ele não pensa que este apelo moral (aliás, a politica(gem) brasileira se resume a apelo moral nos dias de hoje) da oposição (PSDB e DEM em especial) se dá por estarmos quase entrando no ano de eleições presidenciais? Ah.. é lógico que ele sabe, mas parece não conseguir enxergar que estes mesmos opositores governaram sob a batuta do PMDB e Sarney por todos os anos de poder que tiveram... mas voltando a sinuca de bico que me incomoda: Lula conseguiu ser presidente, mas junto com a presidência ele ganhou também a forma antiga de fazer política, sempre envolvida com o famoso PMDB.

Espero ter sido claro.. acho que falei demais. rs
Abraços.

André Luis Mansur disse...

E aí, Felipe, tudo bem?

A verdade é que quando Lula e o PT decidiram que era a hora de ganhar a eleição optaram por governar da forma que todos governam, com o velho clientelismo politico que o PMDB representa melhor do que todo mundo. Sou contra tirar o Sarney da presidência do Senado, pois seria hipocrisia pura. Se quer moralizar, vai ter que tirar praticamente todo mundo.

Agora, imagina o que vem em 2010, hein. Mas vamos continuar essa conversa no bar ´Zero grau´, o único onde ´política, religião e futebol´ se discutem.

Abraços.