Follow by Email

11.17.2008

O VELHO OESTE CARIOCA/LANÇAMENTO


LANÇAMENTO DO LIVRO
“O VELHO OESTE CARIOCA”,
DE ANDRÉ LUIS MANSUR (editora Ibis Libris)

A HISTÓRIA DA ZONA OESTE CARIOCA, DE DEODORO A SEPETIBA, CONTADA DESDE O SÉCULO XVI

DIA 9 DE DEZEMBRO (terça-feira), ENTRE 17h E 20h30, NA LIVRARIA ARLEQUIM, PAÇO IMPERIAL, PRAÇA QUINZE, CENTRO

DIA 13 DE DEZEMBRO (sábado), A PARTIR DAS 17h , NO CHOPP DA VILLA, ESTRADA DO PRÉ, 91, LARGO DA VILLA SANTA RITA, EM CAMPO GRANDE

A Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro é sempre citada nos livros de História do Brasil por dois motivos: a invasão de piratas franceses em Guaratiba, em 1710, e as longas temporadas de D. João na antiga fazenda dos jesuítas, em Santa Cruz, no início do século XIX.

O resgate do patrimônio histórico da região, desconhecido da maioria de seus moradores, tem sido feito por pesquisadores da Zona Oeste, com seus próprios recursos e a ajuda de amigos para divulgação desses trabalhos.

É preciso também fazer justiça a importantes cronistas do Rio Antigo, que mencionam, em seus livros, o então chamado “sertão carioca”, como Monsenhor Pizarro, Vieira Fazenda, Brasil Gerson e Noronha Santos.

Indispensável, também, citar ilustres viajantes europeus, que conheceram de perto a região, como Debret, Maria Graham e os naturalistas Spix e Martius, que, com relatos e imagens, nos legaram um rico acervo, de seus aspectos mais prosaicos que, na maioria das vezes, passam despercebidos nas “publicações oficiais”.

Este livro reúne o material de pesquisadores locais, bem como de autores reconhecidos, e apresenta uma visão global da região, que se estende desde o Campo dos Afonsos a Sepetiba, percorrida pela antiga Estrada Real de Santa Cruz. O objetivo deste livro é chamar a atenção para a riqueza histórica e natural da região. A melhor forma de valorizar um lugar é conhecer seu passado, identificando os que o ajudaram a se tornar o que é hoje.

35 comentários:

Bruna Mitrano disse...

Falta exatamente 1 mês! Estarei lá!
Tô super curiosa p'ra ler esse livro. Ele já tá bombando antes de sair do forno!

Ah, na próxima sexta eu vou mesmo ao cineclube. Eu sei, sou uma furona..rs.
Beijos, moço!

11/09/2008 06:23:00 AM

André Luis Mansur disse...

André Luis Mansur disse...
Vai uma galera bem bacana lá, que bom. Só espero que não se decepcionem com o conteúdo, pois a capa ficou bonita (rs). O legal é que tenho um mês para divulgar.

Você não é furona, digamos que seja responsável, de vez em quando, por ´expectativas frustradas´. Soa melhor. Lá no Ernesto, toda sexta agora ficamos ouvindo LPs no anexo dele. E o próximo filme é um documentário sobre o Chaplin maravilhoso.

Beijos.

11/10/2008 05:19:00 AM

Sal disse...

Estaremos lá com certeza, eu e minha senhora, para presenciar este momento em que a Zona Oste ganhará o mundo!!!

Tremei povo do norte e do sul!!! hehehe

11/11/2008 03:51:00 AM

André Luis Mansur disse...

Uniremos a ´cidade partida´. Valeu, Sal, te espero lá e aguardo mais previsões apocalípticas (rs).

Abração.

11/11/2008 03:55:00 AM

Jorge Cordeiro disse...

Jorge Cordeiro disse...
Meu caro, vou fazer o possível para estar lá! E aproveitando o seu interesse pela zona oeste, viu que o Parque do Mendanha já era? Vai virar loteamento!! Obra do seu prefeito Cesar Maia!

Confira: http://escriba.org/novo/2008/11/mendanha-ameacadomendanha-ameacado/

abração!

11/11/2008 06:24:00 PM

Gaivota disse...

Acho a iniciativa do livro fantástica! Não sei se já te disse isso. Numa época em que o financiamento público muitas vezes se destina às pesquisas de guarda-roupas, cujo sentido e relevância só interessa e remete ao próprio autor, ter acesso a uma pesquisa verdadeiramente relevante para a compreensão da configuração sócio-espacial da nossa região oeste, é um privilégio. Que bom ser uma das privilegiadas. Um grande beijo.

11/11/2008 08:21:00 PM

André Luis Mansur disse...

Obrigado pelas palavras, deu um sentido bem amplo a esse trabalho. O mais incrível foi não ter conseguido apoio em nenhuma das instituições da própria zona oeste quando procurei patrocínio. Livro? Para que livro? Na nossa região não tem nenhuma livraria de peso.

Mas acho que vale a resistência, principalmente pelo apoio que tenho recebido de muitas pessoas. Acho que eu é que sou privilegiado por ter conhecido uma galera tão legal no meu bairro.

Beijos.

André Luis Mansur disse...

Jorge, fiz um comentário sobre esse assunto no seu blog, mas não estou conseguindo enviar. Vou mandar para o seu e-mail.

Abraços.

11/12/2008 04:49:00 AM

Adinalzir Pereira disse...

Caro André
Estarei no lançamento, com certeza. Você merece! Não teve alguém que falou mal dos suburbanos? Precisamos mostrar ao mundo que suburbanos também publicam literatura de respeito. O seu livro e o seu blog estão aí para provar. Guarde alguns para mim! Um grande abraço!
Adinalzir Pereira
http://saibahistoria.blogspot.com
www.historiaecia.com

11/13/2008 03:21:00 PM

André Luis Mansur disse...

Obrigado, Adinalzir. Espero que goste do livro e o inspire a escrever sobre os subúrbios nos seu blog.

Abraços.

11/14/2008 08:55:00 AM

Felipe Vasconcelos disse...

"A melhor forma de valorizar um lugar é conhecer seu passado": palavras suas André. Fico feliz de saber que isso ainda existe, e melhor, que isso está partindo do nosso velho oeste. Na minha opinião (na base do achismo mesmo)o que falta na Zona Oeste hoje é identidade, e isso é justamente por não haver o resgate da cultura e da característica da região. Mas o veneno também existe na construção de uma identidade, haja vista as campanhas da prefeitura que teimam em apresentar a Zona Sul e centro como pontos apenas turísticos, construindo assim uma identidade comercial, os donos de hoteis que nos confirmem, e os cafetões do turismo sexual também... mas enfim, o bom é que esse "retrato" da Zona Oeste me parece ser bem original às vias de fato. Estarei no lançamento com certeza, e espero aquele coquetel pra rolar uma serrotada de classe. rs
Abraços.

André Luis Mansur disse...

Isso é verdade, Felipe. Se você não cria uma identificação com a sua rua, com o seu bairro, fica muito difícil lutar pela melhoria dele. Conhecendo a História da zona oeste e vendo como ela é tão rica, a população da região pode começar a criar laços mais fortes com o local onde vive. Isso pode ser feito, principalmente, com os estudantes.

Na Zona Sul, assim como o Rio em geral, o que eu não agüento mais é essa história de ´cidade maravilhosa´, ´Deus é brasileiro´ etc. Ficam com essa ilusão, ou dissimulação, de que moramos no melhor lugar do mundo e os valores básicos da cidadania são deixados de lado. Tenta atravessar uma rua que você percebe na prática o que estou dizendo.

Te espero lá. Dom Serrote também estará presente, aguardando alguma vítima pagar cerveja pra ele depois.

Abraços.

Gustavo disse...

Parabéns, André! Infelizmente, não poderei ir por motivos óbvios. Vou ver se alguém pode comprar e enviar uma edição pra mim (devidamente autografada... hehe). Que o livro tenha o merecido sucesso. Abraços,

André Luis Mansur disse...

Valeu, garoto. Acho que você vai gostar. A galera daqui está bastante animado com o lançamento.

Abração.

Gledson Vinícius disse...

Ola, Vale apena conhecer o conteudo desse livro, em se tratando de "subúrbio", sempre vale a pena. Vou divulgar no meu blog: www.visaosuburbana.kit.net

André Luis Mansur disse...

Apareça então no lançamento, Gledson. Vou visitar seu blog.

Abraços e obrigado.

Anônimo disse...

Olá Mansur:

Nasci em Santa Cruz, na Rua D.João VI nº 1-A em 1946, em frente ao antigo hospital.

Exatamente no dia 17/02/1962 mudei para Campo Grande, onde permaneci até 1998. Agora resido na zona sul.

Ontem, em visita a Campo Grande fiquei sabendo da existência de um bar com um acêrvo maravilhoso de fotos sobre lugares, coisas e pessoas, como MADAME ODETE, MELHORAL, BONDES SANTA CLARA, PEDRA, RIO DA PRATA, GALPÃO DA ESTAÇÃO DE CAMPO GRANDE, entre outras preciosidades e corri lá para conhecer. Trata-se do simpático "CHOPP DA VILLA".

Lá, fiquei sabendo pelo atencioso proprietário que, infelizmente, esqueci o nome, do evento de lançamento do seu livro "O VELHO OESTE CARIOCA" que pelo título, "já vale o ingresso".

Já anotei na minha agenda e dia 13/12/2008 estarei lá, no "CHOPP DA VILLA" para conhecê-lo pessoalmente e solicitar o seu autógrafo no meu exemplar.

Um abraço e até lá.

Ugo Esteves

André Luis Mansur disse...

Ugo, será um prazer recebê-lo no bar do meu grande amigo Ernesto Pires, um sujeito que transformou, como você viu, o seu bar num autêntico centro de memória da zona oeste. No dia do lançamento você vai conhecer muita gente boa que freqüenta lá. Todos bebem bastante, já advirto.

Grande abraço e obrigado pelo incentivo.

Adinalzir Pereira disse...

Faltam 2 dias para o dia 13/12. Confirmo a minha presença no Chop da Vila no lançamento do livro. Aguardo ansioso. Um grande abraço e até lá!

Adinalzir Pereira
http://saibahistoria.blogspot.com
http://www.historiaecia.com

André Luis Mansur disse...

Obrigado. Agora sua presença lá. Você vai gostar muito do bar do Ernesto. Tem tudo a ver com o seu trabalho.

Abração.

Aline Targino disse...

Mansur querido, parabéns pelo livro. Adorei! A capa está linda, o texto de ótima qualidade, com boas referências, contextualizado, enfim, perfeito!
Pena que não deu para trocar umas idéias, pois o jogo não teve prorrogação. rs
Muito sucesso!!!
Bjs

André Luis Mansur disse...

Mais uma crítica positiva. Que bom. Afinal, muitos leitores exigentes compraram o livro, daí a minha ansiedade.

Mas olha, mesmo que você chegasse no início não daria para conversamos. Fiquei superatarefado lá, porém feliz, né? Afinal, deu um público muito bom.

Na verdade, dá uma certa frustração, pois você vê um monte de gente legal e importante na sua vida e não dá pra falar direito com ninguém.

Beijinhos e obrigado pelo apoio.

Adriana Saraiva disse...

Mansur,

Acabei de terminar a agradável viagem ao velho oeste carioca que seu livro
proporcionou. Você está de parabéns pois conseguiu escrever sobre fatos
históricos, mas de uma forma leve como os antigos exploradores e
transmitindo a emoção daqueles tempos dos desbravadores da natureza e das
sagas familiares.

Em diversos momentos, "reconheci" no livro lugares pelos quais passei ou
passo, como a Praia de Santa Luzia (aqui próxima ao meu trabalho), a
Avenida Intendente Magalhães, em Vila Valqueira (onde fica o colégio
Pentágono, no qual estudei, e bairro no qual moram os pais do meu marido, o
bairro de Realengo (onde situa-se a Escola Nacional de Equitação, para onde
fiz alguns freelancers), Sepetiba (local onde passei férias em casa de uma
prima)... e outros que gostaria de visitar, como a restinga da Marambaia, o
Palácio Imperial de Santa Cruz, a ponte dos jesuítas.

Gosto muito deste tipo de livro, já li alguns daqueles autores que vc
comentou, e fico feliz de saber que esse tipo de literatura se renova em um
jovem como vc. Admiro sua coragem em investir seu tempo em projetos como
esse, abrindo mão de um emprego fixo, de nove horas por dia, com
13º salário.

Se depender do meu incentivo, continue investindo na literatura.

BJS

Matusa Freitas disse...

Mansur,
Parabéns pelo livro! Uma retificação: Eu disse que faltavam imagens nele; porém, a sua narrativa é tão detalhista que, estas (as imagens) ficam por conta da imaginação do leitor, atento, que pode e deve viajar no tempo. Estou indicando-o a pessoas. "Muchas mierdas"!!!

Jorge Henrique Cordeiro disse...

ae meu caro, acabei de ler seu livro, parabens!! estou expert agora em Zona Oeste do Rio (nao tanto quanto vc, claro...)

Abraços.

Nilson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nilson disse...

Olá amigo,
gostaria de saber quais as livrarias aqui na zona oeste aonde eu possa adquirir o livro "O velho oeste carioca".
Grato,
Nilson Pinto

André Luis Mansur disse...

Olá, Nílson, tudo bem? Até agora nenhuma livraria da zona oeste fez pedido do livro para a editora. Só está à venda no bar Chopp da Villa, em Campo Grande. No centro da cidade, você pode encontrá-lo na livraria Arlequim, no Paço Imperial, e na Saraiva.

Aliás, o Chopp da Villa, que fica quase em frente ao único Prezunic da Campo Grande, na estrada do Cabuçu, é um bar que tem tudo a ver com o livro, pois é repleto de fotos antigas da zona oeste na parede. Vale uma visita.

Abração!

Paiva Netto disse...

"13 de dezembro de 2008. Sábado.

Estimado André Mansur, lerei o seu livro com adiantada satisfação. É muito bom ser carioca da gema, com a alegria natural de nossa gente.

Paiva Netto".

Luiz Fortes disse...

Caro André, comprei seu livro na Arlequim (como presente de natal para mim mesmo), e fiquei muito satisfeito com a leitura. Parabéns pelas suas pesquisas.
Era exatamente o que andava procurando, informações sobre nossa localidade.
Felicidades, abraços.


Luiz Fortes RJhttp://sos-rio-catarino.blogspot.com

Renata Macedo disse...

Querido André,

Estou devendo este comentário a muito e por isso, minhas desculpas, por favor.
O livro é muito gostoso, rápido e devéras informativo. A sua fonte de pesquisa é maravilhosa e inclusive anotei alguns para ler depois... Adoro, simplesmente adoro história do Rio de Janeiro e seu livro me fustigou mais ainda. Este livro, O VELHO OESTE CARIOCA deveria estar nas escolas públicas do Rio por ser fornecedor de informações de uma área do Rio de Janeiro bastante esquecida historicamente e no entanto de fundamental importância na economia da mesma. Quero que saibas que fiquei feliz em tê-lo em minhas pesquisas tambêm. E aguardo ávida por mais realizações suas!

Abraço grande de sua leitora

Ótica pessoal - Lu disse...

Agradeço pela dica de onde encontrar o seu livro lá no meu orkut.
Aproveito para deixar o link aqui do meu blog, se puder, faça uma visitinha.
Aproveito para dizer que assim q ler seu livro, q comprarei amanhã, vou fazer uma postagem exclusiva sobre ele em meu blog.
Mega bj.
Lu Machado.

André Luis Mansur disse...

Obrigado, Lu, já dei uma olhada no seu blog e gostei, especialmente dos textos sobre a cadeira do funcionário público e do jabá do Jô Soares. Abraços.

Raphael Bellem disse...

Boa tarde André Mansur!

Publiquei o seu livro na página que eu compartilho coisas antigas e atuais sobre Cascadura (e outras partes do subúrbio carioca) para que a galera conheça mais sobre a sua obra.

Seria ótimo se pudéssemos obter trabalhos como esse falando sobre outros pontos do Rio como os subúrbios da Zona Norte, Baixada e etc. A região fluminense é muito rica e não pode ser esquecida dessa forma.

Parabéns pelo seu trabalho!

André Luis Mansur disse...

Muito obrigado, Raphael. Também me interesso muito pela história dos subúrbios, afinal fui criado em Marechal Hermes. Recebo sempre material dos amigos do patrimônio carioca, que falam muito desta região, e também nesta revista online há muito material sobre os subúrbios.

http://www.resenha-digital-ihgbi.blogspot.com/.

Grande abraço!